Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Celina Silveira

Após pedido da Sinovac, Governo estadual e Butantan atrasam divulgação de dados da fase 3 da Coronavac

O Instituto Butantan e o Governo do estado de São Paulo não divulgaram os resultados da fase 3 dos testes clínicos da Coronavac nesta quarta-feira (23).

A divulgação dos dados estava sendo prometida há semanas e a expectativa era de que os documentos fossem enviados ainda nesta quarta-feira (23) à Anvisa para certificação e aprovação do uso emergencial do imunizante.

Segundo o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, a Coronavac atingiu os números mínimos de eficácia e segurança exigidos pela Anvisa e pela Organização Mundial de Saúde, no entanto, sem dar mais detalhes, Dimas Covas afirmou que os resultados da Coronavac são diferentes dos observados em outros países, por isso a farmacêutica Sinovac vai analisar a base de dados do Butantan.

“A Sinovac tem vários estudos clínicos em andamento e é importante que ela faça uma uniformização de dados, ela não pode analisar dados da mesma vacina com critérios diferentes, então esse é o motivo principal, da mesma forma que ela não pode ter três eficácias para a mesa vacina, então esse é o segundo motivo e isso não implica que os dados apresentados foram menores ou maiores que a expectativa”.

O prazo para a Sinovac analisar os resultados obtidos pelo Instituto Butantan é de até 15 dias. Apesar da divulgação dos resultados da fase 3 não ter acontecido nesta quarta-feira (23), segundo o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, o início do plano estadual de vacinação está mantido para o dia 25 de janeiro de 2021.

“Todo o planejamento continua, a produção das doses está acontecendo aqui na fábrica do Instituto Butantan e nós iniciaremos o nosso programa estadual de imunização do estado de São Paulo agora no dia 25 de janeiro, então, apesar dessa não revelação de dados de eficácia específicos nós temos a superioridades deles o que dá a tranquilidade de podermos consagrá-los já no programa estadual de imunização”.

O Governo do Estado de São Paulo afirmou ainda que, apesar da decisão da Sinovac de analisar os resultados antes da divulgação estar prevista em contrato, o Instituto Butantan é responsável pela base de dados com os resultados dos testes da Coronavac e a qualquer momento pode enviar à Anvisa o pedido de autorização e uso emergencial do imunizante.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Brasil Agora 1ª Edição