Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

Comitê Municipal discute sobre população em situação de rua em Campinas

O Comitê Gestor do Plano Intersetorial de Atenção à População em Situação de Rua de Campinas se reuniu na última terça-feira (11) pra debater a política municipal de atendimento a essas pessoas. Uma das demandas discutidas foi o tempo de permanência desses indivíduos em casas de assistência e nos abrigos da cidade.

Segundo dados da Prefeitura, aproximadamente 800 pessoas estão em situação de rua em Campinas. 40% deste total são de itinerantes, ou seja, indivíduos que não permanecem no município. Os demais ficam na cidade.

O encontro reuniu os membros do Comitê que representam 15 órgãos da administração pública direta e indireta e também representantes de outros órgãos da sociedade civil organizada como a OAB, a Arquidiocese de Campinas e a Câmara Municipal. Também participaram profissionais, técnicos da área, pessoas em situação de rua e cidadãos interessados no tema.

De acordo com a diretora do Departamento de Operações de Assistência Social da Prefeitura de Campinas, Sílvia Brito, esses encontros são necessários pra entender as demandas da população.

Ainda segundo Silvia Brito, todas as demandas vão ser levadas em consideração pra que o atendimento aos moradores em situação de rua seja cada vez mais qualificado.

A próxima reunião do Comitê Gestor do Plano Intersetorial de Atenção à População em Situação de Rua de Campinas está prevista pra acontecer no dia 29 de fevereiro.

Imagem: Prefeitura de Campinas

3 Comentários para “Comitê Municipal discute sobre população em situação de rua em Campinas”

  1. Cristiana Nunes de Oliveira disse:

    Parabéns pelo programação de hoje. Que bom ver jovens como o Rodrigo servindo Jesus. Deus abençoe

  2. Luciana disse:

    Que benção de programa. Deus abençoe vocês

  3. Cristiana Nunes de Oliveira disse:

    Logo mais estarei na Comunidade São Bento, com vocês no grupo de oração Milícia da Imaculada

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Acorda Brasil