Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Celina Silveira

Em entrevista à Rádio Brasil Campinas, ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina Neto, fala sobre a confiança nas vacinas contra a Covid-19 e a preocupação com insumos que o Brasil precisa receber para envazar doses dos imunizantes

O ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina Neto, conversou com a Rádio Brasil Campinas nesta quarta-feira (20).

Questionado se a Campanha de Imunização contra a Covid-19 – que teve início nesta semana – começou tarde, Vecina afirmou que o melhor momento é quando há vacinas aprovadas e disponíveis.

“Ela começou quando nós tivemos acesso a um imunizante que foi aprovado pela Anvisa porque é seguro e eficaz. O grande problema desse momento no mundo inteiro é ter vacina. O mundo inteiro está atrás das vacinas, os estudos de segurança e eficácia terminaram muito próximos de agora, ou seja, não tem muito tempo para esperar. Então, quando é que é o melhor momento para começar? Quando tem uma vacina segura e eficaz. A vacina segura e eficaz foi atestada pela Anvisa e foi atestada por vários outros organismos de regulação sanitária no mundo inteiro”. 

A partir de março, segundo Vecina Neto, a campanha de imunização contra o vírus Influenza A, causador da gripe, deve vacinar 80 milhões de pessoas em três meses, o que demonstra a capacidade do sistema de saúde brasileiro em imunizar rapidamente a população. 

No entanto, a preocupação agora é saber se o Brasil vai receber da China os IFAs, Ingredientes Farmacêuticos Ativos, para envazar novas doses dos imunizantes contra a Covid-19.

“Nós vamos vacinar esses oitocentos milhões de pessoas – idosos, profissionais de Saúde, crianças e grávidas – em três meses: março, abril e maio. Espero que estejamos encavalando a vacina contra a gripe com a vacinação contra a Covid com a quantidade de vacina que nós tivermos. Na medida que nós tenhamos capacidade de receber o IFA, envasar o IFA e, posteriormente, produzir o IFA no Brasil nós temos capacidade de vacinar rapidamente. 

Quanto ao medo que algumas pessoas relatam sentir sobre a vacinação, o ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina Neto afirma que a Coronavac e a vacina de Oxford são seguras e eficazes: 

“Uma coisa é certa: as duas vacinas com as quais nós estamos trabalhando são seguras e eficazes. Todo mundo de alguma forma já tomou alguma vacina na infância (sarampo, rubéola, poliomielite, rotavírus, pneumocócica), agora mais velho tomou a tomar a vacina da gripe, voltou a tomar a vacina da febre amarela porque tivemos problemas com a febre amarela, portanto, todos nós sabemos o que é uma vacina. As vacinas que estão sendo produzidas agora são mais seguras do que todas as vacinas que todo mundo já tomou porque a cada dia que passa nós aprendemos mais sobre imunizantes e exigimos mais segurança deles”.   

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

O Som do Sagrado