Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Celina Silveira

Foto aponta quebra de normas sanitárias de escola contra a Covid-19

A escola particular Jaime Kratz, no bairro Taquaral, em Campinas, tem 34 funcionários com diagnóstico de Covid-19. As aulas presenciais haviam retornado no dia 25 de janeiro respeitando o limite de 35% da ocupação e rodízio entre os alunos. 

No dia 29 de janeiro, no entanto, quatro dias após o início das aulas, a escola suspendeu as atividades presenciais após confirmação de casos de Covid-19 na unidade.

Segundo o Instituto Educacional Jaime Kratz, além dos professores confirmados com a doença, há um aluno com diagnóstico positivo e outro seis com sintomas de Covid-19.

Denúncia feita à Rádio Brasil aponta que no dia 18 de janeiro, sete dias antes do início das aulas, a escola Jaime Kratz organizou um treinamento com os profissionais para a preparação do retorno às aulas que deveria respeitar as medidas de segurança contra o novo coronavírus. 

O treinamento teria acontecido no dia 18 de janeiro no Floresta Park, no distrito de Sousas. Uma foto recebida pela reportagem mostra mais de 40 profissionais aglomerados, alguns sem máscara de proteção, e teria sido apagada da página do Instagram da escola Jaime Kratz após o início das confirmações de casos de Covid-19.

Questionada, até o fechamento desta reportagem a escola Jaime Kratz não se manifestou, especificamente, sobre a denúncia de aglomeração e falta de uso de máscaras durante o treinamento dos profissionais.

Em nota, a direção do Instituto Educacional Jaime Kratz afirma que desde o início das aulas, no dia 25 de janeiro, cumpriu o distanciamento social e a desinfecção diária do prédio. Segundo a nota, após a confirmação de que um grupo de professores foi infectado com o novo coronavírus, as aulas presenciais foram suspensas até o dia 18 de fevereiro.

O Instituto Jaime Kratz afirma ainda que os profissionais foram testados antes do dia 25 de janeiro e serão testados, novamente, antes do retorno em 18 de fevereiro.

Sobre a denúncia de aglomeração e falta do uso de máscaras de proteção durante o treinamento realizado pela escola Jaime Kratz, a Vigilância em Saúde (Visa) de Campinas informou que ainda investiga o caso.

*A foto foi desfocada nesta publicação. O print original está em posse da reportagem.

** Nota completa do Instituto Jaime Kratz:

O I. E.  Jaime Kratz suspendeu nesta segunda-feira (01/02) as aulas presenciais após confirmação de que um grupo de professores foi infectado com a covid-19. A medida vale até o dia 18 de fevereiro. Durante esse período as aulas serão remotas. Há um aluno positivado e seis com sintomas da doença

Os pais dos alunos já foram orientados e a escola passará por desinfecção. Todas as medidas de segurança sanitária foram e continuam sendo adotadas pela escola com o intuito de preservar a saúde de alunos e colaboradores.

A unidade escolar informou o Simed – sistema de informações do Estado – sobre a ocorrência e enviou uma planilha com os dados epidemiológicos de todos os docentes infectados à Vigilância Sanitária de Campinas. A Delegacia de Ensino do Estado também foi comunicada. 

A escola tem 1,3 mil alunos e o retorno às aulas ocorreu no último dia 25 de janeiro por meio de rodízio. Em cada dia havia 35% dos alunos presentes na escola. Foram cumpridos o distanciamento social e a desinfecção no prédio era feita diariamente. O uso de álcool em gel e máscara também era respeitado. 

Os alunos da Educação Infantil e Fundamental I foram divididos em duas turmas, sendo uma de segunda, quarta e sexta e outra de terça e quinta. 

Já os estudantes do Fundamental 2 foram separados em três turmas, sendo que o Grupo 1, na segunda-feira; grupo 2, na terça-feira e o grupo 2, na quarta-feira. 

O Ensino Médio teve mesmo esquema. 

Direção do Instituto Educacional  Jaime Kratz

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Acorda Brasil