Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

Governo de SP vai distribuir 750 mil chips com internet gratuita a alunos e professores da rede estadual

Mais de seis meses depois da suspensão das aulas presenciais na rede pública de ensino do Estado de São Paulo, por causa da pandemia da Covid-19, o Governo Paulista anunciou que vai distribuir 750 mil chips de telefone celular para alunos, professores e servidores da rede. O objetivo é garantir conexão à internet para o ensino remoto e híbrido, entre outras atividades pedagógicas online. 

O anúncio foi feito no começo da tarde desta quarta-feira (14), em uma coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo de São Paulo, e transmitida pela internet. O investimento para esta ação é de R$ 75 milhões, válida por 12 meses. 250 mil chips por mês vão ser enviadas para professores e servidores, com 5 gigas de internet, além de acesso a ligações e mensagens de SMS. Os 500 mil chips mensais pros alunos terão 3 gigas de internet e vão atender os alunos mais vulneráveis. 

Ainda segundo o Governo Paulista, essa medida vai ajudar no processo de busca ativa dos estudantes e minimizar o abandono e evasão escolar que podem ocorrer por conta do período da suspensão das aulas presenciais. 

De acordo com o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), os estudantes e os professores vão ter o apoio necessário pra este momento da pandemia do novo coronavírus.

Na avaliação do secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, essa ação também vai colaborar com o desenvolvimento das atividades pedagógicas fora da sala de aula, imprescindíveis em um mundo globalizado. 

O Governo de São Paulo informou que os alunos dos últimos dois anos do ensino fundamental e de todas as séries do ensino médio deverão receber os chips, mas pros estudantes em situação de pobreza e extrema pobreza cadastrados no CadÚnico. A distribuição será feita nas Diretorias de Ensino e escolas, entre os meses de novembro e dezembro.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Povo de Deus