Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

Iniciativa privada é mobilizada pra produção e distribuição de oxigênio pra hospitais do Estado

O Governo de São Paulo fez uma reunião na manhã desta segunda-feira (22) com representantes dos fornecedores de gases hospitalares e demais empresas que podem contribuir com a produção e logística de oxigênio no Estado. O objetivo é mobilizar a iniciativa privada pra garantir o fornecimento do gás hospitalar e dos cilindros necessários pra criação de novos leitos de UTI pra pacientes com quadros graves do novo coronavírus. Pros leitos já existentes, os fornecedores asseguraram o fornecimento, sem riscos de desabastecimento.

As informações foram divulgadas em uma coletiva de imprensa, realizada na tarde desta segunda, no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Paulista.

O encontro, comandado pelo governador João Dória (PSDB), foi feito em meio à reclamação de prefeituras e dos hospitais filantrópicos e particulares do Estado sobre o risco de um desabastecimento considerando o avanço da pandemia da Covid-19. O exemplo do que houve em Manaus, com pessoas morrendo asfixiadas pela falta de oxigênio, chocou o Brasil e o mundo e forçou uma posição rápida do Governo Paulista.

Durante a reunião, as empresas que fornecem gases hospitalares informaram que vão honrar os atuais contratos vigentes, considerando a ampliação já realizada na estrutura hospitalar em razão da abertura dos novos leitos pra pacientes com Covid-19. Ainda segundo o Governo de São Paulo, a expectativa é de que nos próximos dias, as empresas do setor privado possam doar aproximadamente três mil cilindros pra contribuir com o combate à pandemia, entre outras ações.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Patrícia Ellen, a demanda estadual por oxigênio cresceu 40%, sendo que em algumas empresas privadas foi praticamente o dobro.

Outro assunto abordado na coletiva de imprensa foi sobre um possível lockdown estadual. De acordo com o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), ações do Governo Federal seriam necessárias pra que um fechamento total acontecesse no Estado.

Por fim, foi informado de que o calendário da vacinação contra o novo coronavírus não será alterado em São Paulo, mesmo com a determinação do Governo Federal em usar todas as doses em estoque pra aplicação da primeira dose dos imunizantes contra a Covid-19. Isso, de acordo com o Governo Paulista, já é feito no Estado.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

O Terço