Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

Instituto Butantan vai pedir uso emergencial da vacina contra a Covid-19

O Instituto Butantan mudou de estratégia e, além de pedir o registro definitivo da CoronaVac pra Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, também irá requisitar no dia 23 de dezembro, o uso emergencial da vacina contra a Covid-19. O anúncio foi feito no começo da tarde desta quinta-feira (17) em uma coletiva de imprensa feita no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo de São Paulo, e transmitida pela internet.

Com isso o tempo de avaliação da Anvisa, que é de 60 dias pra registros definitivos, cairá pra 10 dias com o uso emergencial. A previsão do Instituto Butantan, mantido pelo Governo Paulista e parceiro da empresa farmacêutica chinesa SinoVac no desenvolvimento do imunizante contra o novo coronavírus, é de que o produto esteja autorizado pra ser usado na primeira semana de janeiro de 2021.

Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, as novas informações divulgadas pela Anvisa recentemente permitiram a mudança de estratégia.

Ainda na coletiva de imprensa foi informado que as aulas presenciais no Estado de São Paulo serão retomadas em 2021. No entanto, de acordo com a Secretaria de Educação do Estado, a volta ocorrerá de forma regionalizada e de forma gradual. As escolas de educação básica, por exemplo, poderão receber diariamente até 35% dos alunos na Fase Vermelha. Na Fase Amarela, elas ficam autorizadas a atender até 70% dos estudantes; e na fase verde, até 100%.

Já as instituições de ensino superior poderão funcionar na fase amarela com até 35% das matrículas, e na fase verde, com até 70%. Nas etapas vermelha e laranja, elas não estão autorizadas a funcionar. Enquanto isso, os cursos superiores específicos da área médica têm o retorno presencial autorizado em todas as fases do Plano. 

Na avaliação do secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, o cuidado com as vidas dos estudantes, professores e funcionários das unidades de ensino é o foco principal do Governo Paulista. E a retomada das aulas presenciais foi algo avaliado com muito cuidado.

Por fim foi reforçada a data de 25 de janeiro pro começo da vacinação em São Paulo contra a Covid-19, desde que haja autorização da Anvisa, seja pra uso emergencial ou de forma definitiva.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Manhã Brasil