Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Elias Aredes

Jair Bolsonaro participa de cerimônia em Campinas, encara protesto e envia recados políticos

Em cerimônia realizada na sexta-feira, dia 08 de outubro para inauguração de cinco novas linhas de luz no Sirius, o acelerador de partículas brasileiro de última geração do Cnpem (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais), sediado em Campinas, o presidente da República, Jair Bolsonaro fez um pronunciamento que oscilou entre a seriedade, o deboche e o envio de  recados políticos.

A controvérsia começou logo no parte inicial do discurso de Jair Bolsonaro, que teve duração de quase trinta minutos. Duas manifestantes protestaram contra as políticas do governo federal para educação, ciência e tecnologia e saúde.

Bolsonaro interrompeu o pronunciamento e respondeu de imediato o protesto.

Bolsonaro aproveitou a oportunidade para justificar o seu comportamento em relação à política de preços praticados pela Petrobrás, que na semana passada anunciou um novo aumento no preço dos combustíveis.

O  mandatário da república também aproveitou a chance para criticar a maneira como a pandemia é enfocada no Brasil.

No entanto, Jair Bolsonaro mostrou uma mudança de posicionamento. Se anteriormente ele exibia dúvidas sobre a eficácia do sistema do voto eletrônico, dessa vez ele comemorou a participação das Forças Armadas no processo de Fiscalização das eleições marcadas para outubro de 2022.

Estavam com o Presidente da República, o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, e a deputada Carla Zambelli (PSL). Eles não usaram máscara de proteção contra a covid-19, assim como parte do restante da comitiva presidencial.

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), esteve também no local, mas estava com a máscara.

O pronunciamento do Presidente da República fez parte do 1ª Feira Brasileira do Nióbio, usado na produção de aços especiais e superligas.

O evento serviu para inaugurar a Ilum, chamada de Escola de Ciência. O projeto, financiado pelo MEC, amplia a atuação do (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais  na área de educação.

O curso de graduação será gratuito e pelo menos 50% das vagas serão destinadas a estudantes vindos das escolas públicas.

Reportagem Elias Aredes

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Visão Geral