Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

MP quer revisão de casos de Campinas de crianças assistidas; especialistas apontam falha de todos com menino encontrado dentro de um barril

O Ministério Público pediu aos conselheiros tutelares de Campinas que todos os casos em andamento, envolvendo crianças e adolescentes acompanhados pela rede de assistência, e que estejam sem comunicação dos demais serviços da rede de proteção há mais de três meses sejam revisados. A medida faz parte de uma série de ações adotadas pelo MP, e divulgadas na última segunda-feira (1).

Também foi aberta uma investigação pra apurar uma eventual falha da rede de proteção nos atendimentos prestados ao menino que foi encontrado nu, acorrentado dentro de um barril e há dias sem comer, no Jardim Itatiaia em Campinas, no último fim de semana.

O caso, que teve repercussão nacional, também gerou reações na Câmara de Campinas, com vários vereadores pedindo informações à Prefeitura e até a convocação da secretária de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, Vandecleya Elvira do Carmo Silva Moro. Já o prefeito Dário Saadi (Republicanos), por meio da Secretaria de Justiça, mandou abrir uma investigação pra apurar falhas do Poder Público no caso.

Por meio de nota, a promotora de Justiça Andrea Santos Souza, responsável pela investigação do MP, afirmou que o órgão nunca recebeu denúncias de maus-tratos ou negligência referente à criança. Ela pediu à rede de assistência informações sobre todos os atendimentos feitos ao menino no ano passado.

Em entrevista à Rádio Brasil nesta quinta-feira (4), a assistente social, consultora em políticas públicas pra crianças e adolescentes e ex-conselheira tutelar, Sônia Maria Bonfante, disse que o caso reflete uma falha conjunta com a necessidade de uma investigação detalhada.

Já pra professora da Faculdade de Serviço Social da PUC-Campinas, Fabiana Aparecida de Carvalho, que também atua na Vara da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo, a situação é muito complexa e é necessário um apoio maior aos profissionais do sistema de assistência social, afetados por causa da pandemia da Covid-19.

Por meio de nota divulgada nesta semana, o Conselho Tutelar Sul de Campinas negou que houve omissão no caso apontado pela reportagem. A Prefeitura, também por meio de nota, informou que o menino teve alta na última quarta-feira (3) do Hospital Mário Gatti, onde estava internado pra ganhar peso. Mas não informou pra onde ele foi levado em seguida.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Nenhum evento encontrado!