Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

Parte dos voluntários já recebeu a segunda dose da CoronaVac

Os testes da CoronaVac, vacina chinesa contra o novo coronavírus, que começaram em julho no Brasil continuam avançando. Dos aproximadamente quatro mil voluntários que receberam a primeira dose, uma parte deles já recebeu a segunda. As informações foram divulgadas no começo da tarde desta segunda-feira (14) em uma coletiva de imprensa do Governo de São Paulo, transmitida pela internet, direto do Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Estadual.

A CoronaVac foi desenvolvida pelo Laboratório SinoVac e está na terceira fase de testes, a última antes da homologação pelas autoridades em saúde. No Brasil os estudos estão sendo coordenados pelo Instituto Butantan, mantido pelo Governo de São Paulo. O investimento inicial do Governo Estadual foi de aproximadamente R$ 85 milhões. Cerca de oito mil trabalhadores da área da saúde se voluntariaram pra participar dos testes, sendo que metade deles recebeu a vacina e a outra metade apenas placebo, ou seja, nada da verdadeira vacina.

Não foi divulgado o número de pacientes que já recebeu a segunda dose do imunizante, mas os representantes do Governo de São Paulo garantiram que os testes estão avançando positivamente e sem nenhum incidente.

É o que avaliou o médico e diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. De acordo com ele, a CoronaVac é atualmente a vacina mais avançada em desenvolvimento, até o momento, contra o novo coronavírus.

Outras informações divulgadas na coletiva de imprensa em São Paulo foram as seguintes: Já foram arrecadados R$ 97 milhões em doações da iniciativa privada pro projeto da fábrica do Instituto Butantan. Os recursos, segundo o Governo Paulista, vão permitir a realização das obras necessárias pra futura produção da vacina contra o coronavírus. O projeto executivo está em processo de contratação e as obras devem ser iniciadas em novembro deste ano. 

De acordo com o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), a estimativa é de que as obras sejam concluídas em setembro de 2021.

Até o fechamento desta reportagem tinham sido confirmados em São Paulo 893.349 casos da doença e 32.642 mortes resultantes da Covid-19.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Nenhum evento encontrado!