Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Elias Aredes

Pesquisa detecta quadros diferentes no mercado imobiliário de Campinas

Pesquisa realizada pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo com 104 imobiliárias e corretores da Região Metropolitana de Campinas detectou melhores resultados em alguns setores do mercado imobiliário no mês de maio em comparação com o desempenho registrado em abril.

De acordo com a entidade, as vendas de imovéis aumentaram 6,83%. Em relação ao perfil do imóvel, metade dos imóveis vendidos tem valor de até 300 mil reais. Sobre a modalidade de pagamento, a pesquisa mostra que 63% das vendas ocorreram por intermédio de financiamento bancário. Na região de Campinas, o perfil de casas mais vendida foi de até 3 dormitórios e com 2 vaga de garagem. A área útil tem até 100 m².

Já em relação as locações, a pesquisa detectou uma queda de 15,02% no volume de negócios. No mês de maio, a preferência dos inquilinos ficou com imóveis com aluguel no valor de até R$ 1.750,00. Este perfil domina 54,5% do mercado.

De acordo com o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de SP José Augusto Viana Neto a melhoria do mercado de trabalho e o aumento das vagas de emprego com carteira assinada são fatores que explicam a melhoria no volume de vendas. Mas ele considera também que mudanças na conjuntura da economia brasileira colaboraram para esta reação.

Em relação a queda na quantidade de locações, o dirigente do Conselho Regional de Corretores de Imovéis considera que os indices de reajuste do IGPM, iíndice que define o valor dos aluguéis, colabora para inibir aqueles que desejam mudar de local.

Mas ele não nega que a ausência de preços atrativos atrapalha para a construção de um aumento nas locações.

A pesquisa sobre o mercado imobiliário foi realizada nas cidades de Americana, Artur Nogueira, Campinas, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Paulínia, Santa Bárbara D’Oeste, Santo Antonio da Posse, São João da Boa Vista, Serra Negra, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

Reportagem Elias Aredes