Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Luiz Felipe Leite

Prefeitura de Indaiatuba revoga decreto que flexibilizou o funcionamento do comércio durante a pandemia do novo coronavírus

Após o registro de várias aglomerações de pessoas em Indaiatuba e de críticas sofridas nas redes sociais, a Prefeitura revogou no último domingo (19) o decreto que flexibilizava o funcionamento do comércio local durante o período da quarentena do novo Coronavírus.

No decreto, anunciado na última quinta-feira (16) e que durou até o fim de semana, o prefeito Nilson Gaspar (MDB), ampliou o número de serviços considerados essenciais, incluindo cultos religiosos e atendimentos de barbearia, salões de beleza, entre outros, além de estabelecer algumas regras para atividades não essenciais.

Na justificativa do decreto, o Chefe do Poder Executivo disse que estava seguro para criar este modelo, devido ao Supremo Tribunal Federal ter definido que os estados e municípios poderiam estabelecer políticas próprias de saúde, inclusive em relação a quarentena e serviços essenciais.

Em uma transmissão feita nas redes sociais, o prefeito Nilson Gaspar disse que vai seguir a determinação do Governo do Estado, que anunciou na última sexta-feira (17) a continuidade da quarentena paulista até o dia 10 de maio. A revogação do decreto municipal também foi recomendada pelo Ministério Público.

Ainda segundo o prefeito Nilson Gaspar, que minimizou os casos de aglomeração de pessoas registrados no último sábado (20), a população de Indaiatuba precisa colaborar pra que o novo Coronavírus não continue sendo disseminado na cidade.

A revogação do decreto municipal em Indaiatuba também ampliou, até 10 de maio, a suspensão das aulas na rede municipal de ensino. Foram confirmados, até o fechamento desta reportagem, 30 casos do novo Coronavírus em Indaiatuba, com duas mortes. Mais de 100 ocorrências seguem sendo investigadas.

Mais informações sobre o assunto no site www.indaiatuba.sp.gov.br

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Musical Católico