Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Ericka Araújo

Primeiro dia de fiscalização sobre uso de máscara será educativo

O primeiro dia de fiscalizações do uso obrigatório de máscaras nos municípios paulistas não vai ter aplicação de multa. As sanções devem começar apenas a partir de quinta-feira (2). O anúncio foi feito durante coletiva da equipe do governo do Estado de São Paulo na tarde de terça-feira (31).

Segundo o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, no primeiro dia vai ser feita uma ação educativa, sem aplicação de multas para pessoas físicas e estabelecimentos.

“Amanhã estaremos iniciando as blitz, no sentido de uso de máscaras, tanto da empresas, quanto dos clientes das empresas, quanto das pessoas transeuntes, dentro de uma ordem educativa no sentido de orientar as pessoas para o uso de máscara, e depois teremos a aplicação de multas a partir do dia seguinte”.

Outra medida anunciada foi a ampliação da vacinação contra a gripe para pessoas de todas as faixas etárias a partir de quarta.

O coordenador do Controle de Doenças, Paulo Menezes, destacou que a medida visa a proteção da população contra o vírus Influenza, reduzindo o número de pacientes com sintomas respiratórios na rede de saúde pública estadual.

“Ela é extremamente importante por várias razões. A primeira porque Influenza é também uma doença grave, que pode levar a internação e a óbito. Em segundo lugar, porque quanto maior a cobertura que nós conseguirmos, menor número de casos que nós vamos ter na população nesses meses de inverno, e portanto, menor pressão nos serviços de saúde, dando mais condições pra que nós continuemos atendendo as pessoas que necessitam de atenção, internação, principalmente por Covid-19”.

Ainda durante a coletiva, Menezes chamou a atenção sobre a realização de testes rápidos em farmácia e suas limitações.

“Qualquer teste de diagnóstico sempre tem algum grau de possibilidade de erro, ou falso positivo, ou falso negativo. Em geral, o que usamos tem pouco. Os testes rápidos têm a probabilidade de erro um pouco maior, por exemplo, a média de um falso positivo é de 5% das pessoas que não têm ou não tiveram infecção pelo vírus. Varia de um teste para o outro, por isso é importante saber que teste está sendo utilizado. Então, não recomendamos o uso de testes rápidos por uma iniciativa individualista. As pessoas devem saber das limitações deste tipo de teste.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Nenhum evento encontrado!