Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Felipe Zangari

Reflexão Dom João Inácio – 08-04-20

Ouça a mensagem de Dom João Inácio para esta quarta-feira Santa.

“Paz e benção saúdo o senhor, a senhora, cada um dos que nos acompanham através da Rádio Brasil, desejo abençoado dia, hoje quarta-feira da semana santa, saúdo o Felipe e a equipe da Rádio.

Nós estamos nos aproximando dos momentos de maior dor do nosso Senhor e Ele já vive essa dor, porque a dor do nosso Senhor é vivida quando Ele percebe que os seus íntimos o traem, o renegam. Judas, como nós podemos ouvir hoje no evangelho, hoje lemos Mateus 26, Judas combina com os Fariseus o preço de Jesus, o preço para entregar Jesus, trinta moedas de prata. Enquanto Judas e os Fariseus tramam a morte, Jesus, com os seus discípulos, pensam e preparam a ceia, o momento convivial.

O preço da nossa salvação, o preço são essas trinta moedas de prata? Não, o preço, é difícil falar em preço, é melhor falar em mistério de nossa salvação. Nos permite com toda a certeza e muito além das trinta moedas de prata, e aí sim, vislumbrar o amor de Jesus por nós. Esse sim é o verdadeiro preço da sua entrega. Lembra São Paulo no capítulo quinto, ‘A prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós’. E João fala muitas vezes, de modo particular no capítulo décimo, ‘Ninguém tira a minha vida, eu a dou, eu a dou para retomá-lá’.

Então hoje, eu quero colocar diante do Senhor, tantas situações no nosso mundo, que são situações de convívio, de fraternidade, de alegria, de promoção de vida, de valorização do outro, de sacrifício pelo outro. Isso nós podemos perceber também, nos momentos delicados e difíceis, como por exemplo esse momento que estamos vivendo agora, momentos de epidemia ou pandemia, onde de fato algumas pessoas, podem,devem e querem dedicar a se entregar muito mais por todos nós, isso nós precisamos ler como sendo de fato a identidade de Deus viva, presente na vida dessas pessoas. Todos nós fomos criados para nos entregar para viver o amor, mas eu também, creio que nós nunca devemos ser cegos, nem bobos, nem ignorantes diante as nossas realidades no mundo.

No mundo, todos os dias, são muitas as pessoas que tramam morte de seus semelhantes por causa do sucesso ou do lucro, mesmo neste momento do coronavírus, tem muitas pessoas que estão felizes, estão fazendo muito dinheiro, estão fazendo bons negócios da miséria dos outros, de modo muito particular, os mais pobres. Isto é demoníaco, é a força do mal que está no mundo, as pessoas abrem o seu coração, abrem a sua existência para estarem a serviço do mal. Nós às vezes temos dificuldade de perceber isso, mas prestem bem atenção no que está acontecendo, não só no Brasil, mas também no Brasil, digo de mundo, nem tudo é tão bonito também como os jornais ou as TVs nos apresentam.
Então esse evangelho de hoje ele é também uma bonita fotografia da vida do ser humano ontem e hoje. Nesse dia eu convido que nós com calma nos coloquemos diante do Senhor, e que nós tomemos a decisão de daqui pra frente termos mais momentos de convívio, desde o convívio ali no seio da família, conviver mais, procurar compreender mais o outro, não rebater tão logo o outro, entender o outro, cada pessoa tem um ponto de vista, e quando a gente acolhe, a gente entende, a pessoa se abre para a convivência, quando eu rebato, quando eu quero me impor, a outra pessoa também recua, se fecha. Como é bonito quando cada um de nós desperta o melhor que tem dentro para colocar na mesa, para colocar na vida, para oferecer aos outros, e também convido e exorto cada um, cada uma, a nos prepararmos para acompanharmos o tríduo da Paixão, e finalmente, a Paixão de nosso Senhor.

Que o altíssimo envolva você com a sua luz, que Maria, nossa mãe, estenda o seu manto sobre você, sobre a sua família, sobre sua realidade, sua dor, seu sofrimento, talvez, a sua doença. Eu rezo a benção de Deus sobre você, e rezar a bênção quer dizer rezar a presença de Deus na sua vida. Por intercessão de Nossa Senhora, abençoe vos Deus todo poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém! Abençoado dia.”

 

Brasil Agora 2ª Edição