Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Celina Silveira

Retorno às aulas presenciais tem baixa adesão em campinas

O retorno às aulas presenciais autorizado em Campinas para todos os estudantes das escolas particulares e dos quintos e nonos anos da rede estadual teve baixa adesão.  

Dados do Sieesp, Sindicato dos Estabelecimento de Ensino do Estado de São Paulo, demonstram que 95% dos 380 colégios particulares de Campinas devem reabrir; e 33% dos alunos, 46 mil crianças e jovens, devem comparecer às aulas presenciais.

Em função da pandemia, as aulas presenciais em Campinas ficaram suspensas por cerca de duzentos dias. 

Segundo Patrícia Cremasco, diretora da escola infantil Girassol, os pais foram consultados e demonstraram desejo pelo retorno às aulas presenciais: 

“Enquanto a escola permaneceu fechada nós recebemos pedidos, se as crianças poderiam vir aqui no visitar, se poderiam brincar um pouco no parque para matar a saudade, então era uma coisa muito, muito esperada. Inclusive, alguns pais, por achar que nós sendo escola particular poderíamos voltar antes. Só que não, nós não voltamos nenhum momento, trabalhamos tudo dentro do retorno certo, respeitando todas as decisões que o prefeito tomou”.

Kerli Lot, 40, é empresária e mãe de uma aluna do ensino infantil da rede particular de Campinas. Para ela, não houve apreensão ao decidir encaminhar a filha de quatro anos para a escola porque a unidade e a criança estão respeitando os protocolos de segurança.

“Nós não ficamos ansiosos, nervosos com esse retorno porque ela é uma criança que nos passe confiança e a escola também sempre passou confiança, até porque existe uma série de exigências para esse retorno que estão sendo cumpridas pela escola, como nós observamos, e minha família também está cumprindo essas exigências, têm usado a máscara o tempo todo, respeita a distância entre os colegas”. 

Para Kerli, o retorno às aulas presenciais é importante para o bem-estar social e emocional das crianças e das pessoas que ajudam no cuidado em casa.

“Nós optamos que ela voltasse para escola porque foi observado durante a quarentena que o aprendizado dela regrediu. E também tem a parte social, emocional, ela estava sentindo falta de mudar um pouquinho, de sair um pouquinho de casa. Ela ficou esse tempo todo em casa. E o outro motivo foi que minha rede de apoio também, como eu trabalho fora, trabalhei o tempo todo fora nessa quarentena, a minha rede de apoio também estava um pouco sobrecarregada”.

A volta às aulas presenciais na última quarta-feira (07), foi autorizada pelo Governo de São Paulo, no entanto, cada prefeitura teve autonomia para decidir se autoriza ou não o retorno.

Em Campinas, as escolas que vão receber os alunos novamente devem seguir os protocolos sanitários como o distanciamento físico, limpeza frequente dos ambientes e uso de máscaras. Nas salas das primeiras às quintas séries a capacidade permitida é de 35%, e de 20% para as classes das sextas séries até o final do ensino médio.

O retorno às aulas presenciais não é obrigatório nas escolas particulares ou na rede estadual, e todos os alunos podem acompanhar as atividades pelo ensino remoto, se esse for o desejo dos responsáveis.

Na rede municipal de Educação de Campinas os estudantes devem retornar às aulas presenciais apenas em 2021.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Visão Geral