Rádio Brasil Campinas | AM 1270

Por Celina Silveira

TSE divulga protocolos sanitários para mesários e eleitores durante eleições municipais 2020

O primeiro turno das eleições municipais, agendado para o dia 15 de novembro, se aproxima ao mesmo tempo que o país ultrapassa a marca de 150 mil de vítimas fatais da Covid-19 e mais de cinco milhões de casos confirmados.

Para evitar contaminações pelo coronavírus, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou um Plano de Segurança Sanitária que deve ser seguido durante as eleições municipais.

Atualmente, mais de dois milhões de mesários estão cadastrados para trabalhar no primeiro e segundo turno em cerca de noventa e cinco mil locais de votação e auxiliar os quase 148 milhões de eleitores brasileiros.

De acordo com o Plano Segurança Sanitária, para diminuir aglomerações de pessoas as seções eleitorais vão ser abertas uma hora mais cedo, ou seja, das sete da manhã às cinco horas da tarde.

Para Tatiane Salvador, eleitora de Cosmópolis, apesar da recomendação de distanciamento físico, as eleições municipais podem virar um evento de aglomeração.

“Eu acredito que essa eleição vai dar aglomeração sim porque a gente sempre vê na TV, nos jornais, as filas enormes, um por cima do outro, então, eu acho que é meio perigoso. Particularmente, eu não estou com tanto medo porque a minha seção e a minha escola não tem tanta gente, minha seção costuma ser bem tranquila, eu acredito que vai dar para respeitar a distância entre uma pessoa e outra, mas se não fosse por isso eu estaria com bastante medo”.

Segundo Lucas Machado, eleitor de Campinas, o dia de votação não representa risco de contaminação maior que o retorno das atividades econômicas.

“A gente está vivendo já em uma liberação, então, muitas vezes eu pego ônibus superlotado, muitas vezes eu vou para um supermercado e o supermercado está cheio, então, não é por conta de ir e voltar no dia que eu possa me contaminar ou algo do tipo. Eu acredito que até na eleição está tendo mais protocolo de higienização mais cuidados do que no dia a dia mesmo com o pessoal”

Os protocolos desenvolvidos para os mesários estabelece a distância de um metro e meio entre cada um e o fornecimento de equipamentos de proteção, como máscaras e viseiras de acrílico, além de álcool em gel para higienização das mãos e álcool 70% para limpeza de superfícies.

Para a segurança dos eleitores, máscaras de proteção e distanciamento físico vão ser obrigatórios. Álcool em gel vai ser fornecido antes e depois da entrada na seção eleitoral e a recomendação é que cada eleitor leve a própria caneta.

Segundo Cleano Cavalcante Lócio, chefe da zona eleitoral 380 de Campinas, o Plano de Segurança Sanitária divulgado pelo TSE segue quatro eixos: higienização, distanciamento físico, controle de fluxo de pessoas e conscientização dos eleitores, mas, mesmo com os protocolos sanitários, a expectativa é que o índice de abstenção, que nas eleições de 2016 foi de 22,62%, aumente na cidade:

“O que a gente tem visto muito: a quantidade de mesários que pedem dispensa por serem grupo de risco, a quantidade de pessoas que estão assustadas com a pandemia, então a gente de dentro sente que sim, vai ter um aumento do índice de abstenção. Vai ser muito expressivo, muito além do que a gente teve nas últimas eleições? Por que, aqui, a eleição já tem um certo índice de abstenção, mas a gente crê que sim, tenha um aumento”

O Plano de Segurança Sanitária orienta também que eleitores que apresentem febre ou recebam diagnóstico de COVID-19 nos 14 dias antes da eleição não votem e no prazo de 60 dias justifiquem a ausência com o atestado médico.

Deixe o seu comentário

* campos obrigatórios.

Doctor Coach