Ao vivo

notícias

16 de maio de 2024

Servidora pública acusa Secretaria de Desenvolvimento Social de assédio

Caso aconteceu durante uma reunião com gestores de Centros POP, especilazados em acolhimento da população de rua

ouça a notícia

Uma intervenção feita pela Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social de Campinas junto a servidores públicos do Centro POP Sares II – uma das unidades especializadas no acolhimento à população em situação de rua – resultou em uma acusação de assédio moral e político contra a administração municipal.

A queixa é da ex-coordenadora da unidade, Rosemary Gimenes. O caso aconteceu durante uma reunião com gestores de Centros POP, com o comando da secretária-adjunta da pasta, Clébia Oliveira.

Por discordar da orientação, Rosemary decidiu entregar o cargo de coordenadora do Centro POP Sares II. A servidora afirma ter sido a primeira vez que uma abordagem desse tipo foi realizada.

Rosemary também afirma ter protocolado  Ministério Público para pedir orientações sobre como proceder nesse caso.

O caso gerou repercussão na Câmara Municipal. Na reunião ordinária de segunda-feira, 13, o tema foi pautado pelo vereador Paulo Gaspar (Novo).

Nós entramos em contato com a Prefeitura de Campinas para pedir uma posição sobre o caso. 

Em nota enviada à reportagem da Rádio Brasil, a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social afirma que a reunião com gestores teve como objetivo discutir o fluxo de atendimento e a melhoria dos serviços à população em situação de rua.

A pasta declara que a orientação dada aos servidores foi clara e específica, ao determinar que os servidores não devem utilizar suas redes sociais para campanha eleitoral durante o expediente.

A Secretaria Municipal afirma que, fora do horário de trabalho, os servidores são livres para se manifestar e expressar suas preferências políticas, conforme preveem seus direitos constitucionais.

A nota se encerra ressaltando que o intuito da orientação foi a preservação dos servidores para que não infrinjam a legislação eleitoral vigente, que proíbe servidores públicos de atuarem nesse tipo de iniciativa durante o horário de expediente.

 

Fotografia: Reprodução / Prefeitura de Campinas


Leia e ouça também:

Kevin Kamada

Kevin Kamada

Jornalista

Kevin Kamada

Kevin Kamada

Jornalista

Compartilhe essa matéria